A vida – Mário Quintana

Estes é um dos textos mais importantes para mim, que leio e releio sempre, de Mário Quintana. Afinal, minha maior dificuldade até hoje foi justamente aceitar os erros, as dificuldades, as pedras no caminho. Parece que eu queria só a leveza, a serenidade, o não sofrimento, mas, é verdade, nas dificuldades é que crescemos.

Praticamente comecei a minha vida profissional aos 50 anos de idade e, para mim surpresa, todas as pedras ao longo do caminho estão sendo usadas para edificá-la.

Assim, reflita sobre este texto, tranquilize a sua mente, busque identificar aquilo que lhe faz seguir na sua “linha vermelha” e aquilo que lhe afasta dela. Aquela linha que nos conduz ao nobre desejo da “ausência de inquietação” como proposta de vida, quando experimentamos a plenitude existencial e a percepção de  que tudo “faz parte” de um todo, com um significado muito maior.

Isso faz parte da “gestão do envelhecimento”- para viver mais e melhor!

liberdade

A VIDA

“Depois de muitas quedas, eu descobri que, às vezes, quando tudo dá errado, acontecem coisas tão maravilhosas que jamais teriam acontecido se tudo tivesse dado certo.

Eu percebi que quando me amei de verdade pude compreender que, em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa.

Então pude relaxar… pude perceber que o sofrimento emocional é um sinal de que estou indo contra a minha verdade.

Parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.

Desisti de querer ter sempre razão e com isso errei muito menos vezes.

Desisti de ficar revivendo o passado e de me preocupar com o futuro. Isso me mantém no presente, que é onde a vida acontece.

Descobri que na vida a gente tem mais é que se jogar, porque os tombos são inevitáveis.

Percebi que a minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando eu a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.

Também percebi que sem amor, sem carinho e sem verdadeiros amigos a vida é vazia e se torna amarga.

Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.

Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo…”

Mário Quintana

Dra Isabela David

Médica nutróloga com Título de Especialista em Nutrologia pela Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Médica Brasileira (AMB)