Linguado De Frigideira

Linguado de frigideira

Prato superlight, super-rápido e super-saboroso!

Tempere os filés de linguado com:

  • limão
  • sal rosa do Himalaya e/ou sal com ervas
  • pimenta branca
  • pimenta rosa

Coloque um pouco de azeite de oliva extra-virgem numa frigideira, disponha os filés de linguado já temperados e deixe em fogo branco, abafando com a tampa da frigideira até o completo cozimento. Desligue o fogo. Salpique salsinha. Pronto!!!!

Read More
O Ginseng Do Século XXI – Ginseng GS15/4

O ginseng do século XXI – Ginseng GS15/4

Você sabia que o Panax ginseng tomou novo status neste século? Como ginseng fermentado GS15/4, 15 vezes mais absorvível, 4 vezes mais rapidamente ficou muito mais poderoso para combater a fadiga! É um poderoso adaptógeno, ou seja, uma substância antistress que pode ser usada por longos períodos no cuidado contínuo anti-DANO ou, em outras palavras, antienvelhecimento! Veja que lindo! Superfã! Procuro incluí-lo sempre nos tratamentos!!!!

Read More
Quibe De Carne Com Quinoa

Quibe de carne com quinoa

Ingredientes:

  • 500 g de carne moída (patinho)
  • 1/2 xícara de quinoa em grão
  • 1 cebola média picada miúdo
  • 2 dentes de alho picados
  • 30 folhas de hortelã
  • 2 colheres de sopa de azeite de oliva extravirgem

Modo de preparo:

Cozinhe a quinoa em 1 xícara de água por 10 minutos.

Corte a cebola e o alho em pedaços pequenos.

Coloque em um recipiente todos os ingredientes e misture.

Disponha num pirex ou recipiente pequeno.

Faça cortes no quibe para que cozinhe por dentro

Assar em fogo médio por 25 minutos.

Servir com azeite de oliva extravirgem.

Read More
O Caminho

O caminho

Existe um caminho na Nutrição? Um único caminho?

Naturalmente que não. Difícil fazer uma abordagem que faça sentido para todo mundo! Podemos apenas mostrar que existem vários caminhos, mas que todos nós, de uma forma ou de outra, seguimos rumo à Ítaca, destino de Ulisses no seu longo retorno ao lar após a guerra de Tróia, narrado numa das obras iniciadoras da literatura grega escrita: A Odisséia, de Homero.

“Não perca Ítaca de vista

Pois chegar lá é o seu destino

Mas não apresse os seus passos

É melhor que a jornada demore muitos anos

e que seu barco só ancore na ilha

quando estiver enriquecido com o que conheceu no caminho.”(K. Kavafis)

Contudo, mesmo dizendo que não existe um único caminho, vou tentar dar algumas dicas “gerais”, infelizmente um termo que vai totalmente de encontro à proposta da Medicina Genômica a qual, em sua essência, é mais individualizada. Mas vamos lá! Isto tudo porque não estou dando conta de responder detalhadamente aos questionamentos de todos os pacientes e acredito que eu possa ajudar à maioria com o que vou colocar aqui! Dúvidas? Entre em contato direto por e-mail!

  • água com limão em jejum é um bom hábito pelo poder alcalinizante do limão; geralmente recomendo água morna, mas não necessariamente; suco de 1 limão espremido é uma boa medida!
  • água com limão não é uma boa opção para quem tem reserva de ferro alta (ferritina alta) se ingerida durante as refeições que contenham alimentos ricos em ferro de origem vegetal (como o feijão);
  • combinação de gorduras, proteínas e carboidratos: procure combiná-los (na maioria das refeições), mas sempre atento à sua percepção de bem estar; a Medicina Genômica divulga enfaticamente:
    • Nem todo alimento saudável é saudável para você!
  • ordem de ingestão dos alimentos: principalmente se tiver problema com saciedade, inclua proteínas antes ou no início das refeições; as proteínas são os macronutrientes mais sacietogênicos, ou seja, que dão mais saciedade, justamente porque são difíceis de serem digeridos, dão mais “trabalho”, exigem mais do organismo; até a ingestão de um ovo quinze ou vinte minutos antes da refeição (do almoço, por exemplo) pode ajudar a aumentar a saciedade e comer “menos” (mas se for daqueles que têm dificuldade em parar de comer, investigue a sua leptina!)!
  • escolha de carboidratos: os carboidratos, em geral, são divididos em “de menor densidade calórica” e de “maior densidade calórica”; os de menor densidade calórica (folhas verdes, tomate, abobrinha, berinjela, quiabo, chuchu, alho-poró, brócolis, couve-flor, repolho e tantos outros usualmente “liberados” em qualquer dieta, exceto na do paciente com insuficiência renal e hiperpotassemia) podem ser ingeridos sem grandes problemas (só cuidado com muita fibra antes do treino, porque vai dificultar a digestão, pode aumentar muito os gases intestinais e diminuir o seu rendimento), a não ser que você tenha alguma intolerância individual; já os de maior densidade calórica, mesmo que você não tenha excesso de peso ou tendência a ter, devem ser ingeridos com maior cautela; inclusive antes da atividade física, recomendo a ingestão dos de maior densidade calórica (batata inglesa, arroz, milho, mandioca, tapioca, entre outros) após a ingestão de proteínas ou combinados; por exemplo, uma crepioca (tapioca preparada com ovos) é metabolicamente mais equilibrante do que a tapioca pura, ainda mais se o recheio for preparado com um pouco de proteína também; não esquecer de acrescentar as gorduras saudáveis, como azeite de oliva extravirgem, abacate,  amêndoas, castanhas e sementes;
  • índice glicêmico: eu não excluo alimentos de índice glicêmico mais alto da dieta (banana, melancia, abacaxi, batata inglesa, milho, etc); apenas combino-os com outros alimentos para reduzir a absorção dos carboidratos;
  • hábito alimentar noturno: procure comer “pouco” à noite; ou comer menos, se fizer mais sentido para você; algumas pessoas gostam de uma referência, tal como “não comer mais nada depois de 20 horas”; acho interessante você criar a sua própria referência baseada na sua percepção de bem estar; algumas pessoas, por outro lado, se não comerem nada mais próximo do horário de dormir, não conseguem pegar no sono; comer só proteína antes de dormir também pode dificultar a indução do sono; enfim, tudo é um jogo e precisamos aprender a jogá-lo corretamente com observação, atenção, dedicação, disciplina e zelo!
  • gordura e refluxo gastro-esofágico: gorduras abrem o esfíncter esôfago-gástrico  e devem ser ingeridas com cautela pelos pacientes que tem refluxo, principalmente perto do horário de deitar;
  • iogurte noturno: para a maioria das pessoas, faz-se um bom hábito tomar um iogurte natural ou coalhada à noite, mesmo alguns minutos antes de ir para cama; em geral, o iogurte (intolerâncias à parte) é muito bom para a produção noturna de hormônios de natureza proteica, como o IGF-1 (um hormônio anabólico), por conter aminoácidos e ter baixo índice glicêmico; mas, em alguns casos, o IGF-1 pode ser alto e aí outros cuidados se farão necessários; gosto de colocar um pouquinho de geleia de blueberry ou outra geleia de frutas vermelhas (sem açúcar) para dar aquele “algo mais”;
  • banana cozida com queijo branco e canela: outra  opção interessante para ajudar a pegar no sono é a banana cozida com queijo branco (eu utilizo o queijo de búfala cotidianamente) e canela; tanto a banana como o queijo branco são ricos em triptofano, precursor da serotonina que, por sua vez, é importante para a produção de melatonina, o hormônio que influencia diretamente a qualidade do sono; um pouquinho de canela geralmente não tem efeito excitatório mas, se tiver, terá que evitá-la;
  • vegetarianismo ou semi-vegetarianismo: se for vegetariano ou estiver com uma tendência a ingerir menos carne vermelha ou algo assim, procure combinar pelo menos duas opções entre leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão-de-bico, soja), cereais/pseudocereais integrais (arroz integral, trigo, centeio, quinoa, amaranto, arroz selvagem) e oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas, sementes) nas refeições principais; inclusive, a variedade alimentar é um grande trunfo na nutrição!
  • alimentos para o cansaço: se estiver cansado, faça com que predomine alimentos/refeições com energia “yang”; pique-os em pedaços pequenos; coma mais alimentos cozidos do que crus e mais quentes do que frios; pimenta ajuda bastante; não é o momento de comer “peixe com salada”, ou seja, uma refeição essencialmente yin; chás morninhos/quentinhos dão energia yang também e “fazem companhia”, confortam, acolhem; se não entender bem o conceito de yin e yang, sugiro ler na internet sobre isso!
  • caldo de vegetais: com aqueles talos, folhas e outras partes dos vegetais que não serão aproveitados, você pode preparar o “caldo quente” energético, fonte de energia yang pela Medicina Chinesa; é só lavá-los bem e deixar fervendo por 30 minutos, com temperos a seu gosto; depois coe e tome só o caldinho: energia concentrada!
  • o que deve ser evitado: em geral, não abordo muito isso porque, mostrando o caminho mais seguro, os caminhos de risco naturalmente são evitados;  uma ou outra pessoa pode depender de uma certa individualização, mas a maioria dos itens deve ser evitada pela maioria das pessoas: frituras, embutidos, açúcar, refrigerantes, sucos industrializados, alimentos zero açúcar, adoçantes, etc; se precisar perder peso ou controlar insulina, também devem ser rigorosamente controlados:
    • mel
    • trigo e derivados
    • milho
    • arroz
    • raízes: batata, beterraba, cenoura, mandioca
    • abóbora
    • tapioca ou polvilho
    • frutas como mamão, banana, abacaxi, manga, kiwi, uva, frutas secas, entre outras que possuem maior teor de “açúcar”
    • bebidas alcoólicas
    • tomate seco
    • vinagre balsâmico
  • frutas que raramente são contra-indicadas em dietas para emagrecimento: abacate, acerola, ameixa vermelha, nêspera, pêssego, amora, framboesa, morango, mirtilo, açaí (puro), cereja, romã, pera, côco, maçã, limão;
  • outros alimentos que raramente são contra-indicados em dietas para emagrecimento:
    • leguminosas (feijão, lentilha, grão-de-bico, soja, ervilha)
    • folhas
    • vagens
    • tomate, berinjela, quiabo alcachofra, aspargos, jiló
    • brócolis, couve-flor, couve-de-bruxelas, alho-poró
    • pepino
    • semente de abóbora, semente de gergelim
    • chia, quinoa, farelo de aveia, farelo de trigo, linhaça
    • castanha de caju crua sem sal
    • tempero verde
  • prefira frango orgânico;
  • de maneira geral, evitar sentir fome, ou seja, comer antes de sentir fome;
  • sugestões para o horário do “jantar”(lembre-se sempre do azeite de oliva extravirgem):
    • risoto de arroz negro com shimeji
    • arroz preto cozido com amêndoas em lascas (levemente douradas separadamente) servido com vagem de ervilhas refogadas no alho e azeite de oliva extravirgem
    • lasanha de berinjela
    • salada de grão-de-bico com cebola roxa
    • quibe de carne com quinoa (receita no site)
    • salmão ou linguado com amêndoas e mix de folhas verdes com manga
    • filé de tilápia com crosta de gergelim preto e mix de folhas verdes com abacaxi grelhado
    • linguado de frigideira (receita no site)
    • bolo de legumes com carne (receita no site)
    • moqueca de peixe com batata barra e salsinha (leite de côco e azeite de oliva extravirgem)
    • panqueca funcional low-carb recheada de queijo de búfala, tomate e orégano  (receita Bem Leve Delícias Funcionais)
    • crepioca recheada com banana, queijo de búfala e canela
    • escondidinho low-carb (receita Bem Leve Delícias Funcionais)
    • filé mignon com cebola, tomate, alho-poró e um toque de iogurte ou creme de leite leve
    • omelete tropical (omelete preparada com vegetais do grupo 4, como cogumelos, cebola, tomate, salsinha, alho-poró, etc)
    • omelete de abobrinha
    • carne vermelha em tirinhas com preparado de legumes para yakisoba (são encontrados prontos em supermercados) com alho e azeite de oliva extravirgem
    • carne vermelha em tirinhas com cogumelos shitake e salada de folhas verdes, queijo branco, tomate, pimentão vermelho e amêndoas
    • meatizza com salada de alface, rúcula e morangos (receita no site)
    • quibe de trigo com azeite de oliva extravirgem servido com mix de folhas verdes
    • pizza de pão sírio (com glúten) com mussarela de búfala e cogumelos shitake e shimeji
    • sopas

Aos poucos vou colocando mais dicas “gerais” aqui, mas não se esqueça de que posso apenas lhe apontar a direção da “arrojada trilha da transformação”, mas que, na verdade, você já conhece o caminho (está dentro de você!) e terá que percorrê-lo sozinho! (do livro: Matheus, o gênio e a princesinha, de Esther Cohen).

Read More
Maçãs: Do Pecado Original à época Do Videophone

Maçãs: do pecado original à época do videophone

Hoje estava relendo um artigo superinteressante sobre a maçã: “Os Beatles, Isaac Newton, Adão e Eva e a saúde de todos nós”, mostrando-nos que esta fruta, ao longo de séculos e séculos, participa da nossa vida prática e do nosso imaginário. Foi escrito pelo Dr. Cláudio Galperin – editor da Revista Bio Nutrição e Saúde, da Nestlé, uma pessoa muito especial pelos artigos que escreve, sempre mesclados com informação e criatividade.

Um artigo ousado que, além de abordar a ênfase nutricional à qual a revista naturalmente se propõe, posiciona a maçã de modo interessante na história da humanidade desde a sua associação com o pecado original. Esclarece-nos, no entanto, que “a Bíblia não menciona o nome da fruta intocável”. A noção de que a fruta do paraíso seria a maçã surgiu muito tempo depois, provavelmente quando ela atingiu status da fruta mais comum na Europa ocidental, “abundantemente retratada por pintores da época” ou, talvez, por ter sido considerada uma fruta extremamente luxuosa pelos romanos, mais do que o reverenciado figo.

Comenta ainda sobre a história da belíssima maçã verde impressa nos selos dos discos da famosa banda britânica The Beatles, lançados pela Apple Records, em 1968 – divisão da Apple Corps Ltda, empresa criada naquele ano para substituir a Beatles Ltda, a “razão social” do grupo. Novamente os Beatles se superaram! Quando a imprensa quis saber “o porquê” da maçã verde como logotipo, Paul explicou que sempre foi fascinado pela arte moderna da primeira metade do século e que tinha uma especial admiração pela obra do pintor belga surrealista Renè Magritte, do qual adquiriu vários quadros. Um deles tinha a tal da maçã verde. Assim que a viu, Paul pensou consigo mesmo: “É ela”. Vinte anos depois, a marca criada por Paul e seus companheiros foi “recriada” pela fabricante de eletrônicos americanos Apple, empresa liderada pelo mítico Steve Jobs, que cresceu alucinado pelo videophone. Videophone? Aguarde…

Vamos primeiro falar da maçã, William Stukeley, Isaac Newton e a Royal Society de Londres. Foi algo emocionante quando esta sociedade digitalizou em seu site no início deste ano (2010) a biografia que Stukeley – médico britânico – escreveu sobre o seu “dileto amigo”, Sir Isaac Newton (1.643-1.727). Descreve-nos que, já próximo da morte do conceituado cientista, físico e matemático, tomavam chá e rememoravam o dia em que, sob a sombra de uma macieira, com apenas 20 anos de idade, num ambiente bem parecido, Newton testemunhou a queda de uma maçã.

“Ele questionou por que a maçã sempre desce perpendicularmente ao chão. por que não vai para os lados, para cima? Seguramente a razão é que a Terra a atrai. Deve existir um poder de atração na matéria”.

Este foi o insight para a sua assim conhecida Lei da Gravidade. Se ficou curioso, entre no site da Royal Society, clicando aqui. Depois localize: Launch Turning the Pages 2.0 e tente baixar a versão 3D. Caso não consiga, o site lhe dá outras opções. Se ler bem em inglês, vá até a página 42: After dinner, the weather being warm, we went into the garden and drank tea under the shadow of apple trees… Não entendi perfeitamente o inglês arcaico e já um tanto apagado, mas é mais ou menos isso. Veja que demais!!! Estes recursos da tecnologia atual são mesmo impressionantes! Acredito que em nenhuma outra época se teve a percepção de uma evolução tão fantástica do conhecimento!!!!

Um comentário curioso incluído no artigo foi a respeito da adoção por uma Universidade da Califórnia de um sistema de sinalização em todos os restaurantes, cafés e máquinas de comida espalhados pelo campus. Com o propósito de orientar estudantes, professores e visitantes, a “logo” de uma maçã passou a ser utilizada para indicar o quanto uma escolha alimentar é saudável. Uma comida pode receber de zero a três maçãs, naturalmente indicando que, quanto maior o número, melhor.

Agora sobre a maçã mesmo. Naturalmente não é “do nada” que surgiu o ditado “An apple a day keeps the doctor away” que nos assegura uma boa saúde se comermos uma maçã por dia. Acredito que seja pelo ácido málico, do qual a maçã é uma das fontes mais importantes, recomendado para o detox do fígado e vesícula biliar, mas provável que nem se pensava nisso quando surgiu o ditado… Deve ter sido fruto de observação mesmo!

A maçã, particularmente, é muito rica em fibras (pectina) e fitoquímicos (quercetina, catequina, ácido clorogênico e floridzina) que atuam ainda reduzindo processos inflamatórios, protegendo contra a oxidação lipídica, reduzindo os níveis plasmáticos do colesterol e melhorando a resposta imune. Com relação à ação anticancerígena, destaca-se a proteção contra o câncer de pulmão. Comparada a mais de uma dezena de frutas comumente consumidas, a maçã possui a terceira maior capacidade antiproliferativa, perdendo apenas para o cranberry e o limão. Além do mais, parece que o efeito antiproliferativo da casca, isoladamente, é até superior ao da maçã inteira. O problema da casca é o maior risco de exposição aos agrotóxicos. Por isso, prefira sempre as maçãs orgânicas, quando disponíveis.

Finalmente, chegamos à era do videophone. Lançado no dia 7 de junho deste ano em São Francisco (Califórnia – EUA), o novo celular da Apple – o iPhone 4 – permite-nos falar ao telefone enquanto vemos o interlocutor, assim como podemos, ao mesmo tempo, ser vistos por eles. Na realidade, a ideia não é nova: o filme Metropolis, de 1927, já apresentava um protótipo de videophone, enquanto no mesmo ano uma empresa americana – AT&T – realizou a primeira ligação com um aparelho similar ainda de “mão única”. No entanto, um aparelhinho portátil como este iPhone 4 é realmente novidade: início de uma nova era, em que a maçã continua sendo tão saudável como sempre ao longo de todos estes anos de vida em nosso planeta. Valorize-a!

Referência: Revista Bio Nutrição e Saúde, publicação destinada a Profissionais da Saúde – ano 4, número 11 – abril 2010 – São Paulo; páginas 26 a 30

 

Read More
Alimentos Antioxidantes Poderosos

Alimentos antioxidantes poderosos

A Essentia Pharma publicou uma lista interessante dos melhores alimentos antioxidantes. Não é que o nosso açaí (açaíberry, em inglês), lidera a lista? Sabendo que o dano oxidativo é um daqueles que envelhece e causa doenças, é muito importante estarmos atentos à inclusão de poderosos alimentos antioxidantes no nosso dia-a-dia. Veja a lista!

Lista

Fonte: E-mail Essentia Pharma, 29 de agosto de 2016.

Read More
Coxinha Fit

Coxinha fit

Ingredientes
  • 100g de batata doce cozida
  • 120g de peito de frango cozido
  • 1 clara de ovo
  • 1 colher de farinha de aveia
  • Farinha de linhaça dourada para empanar

Preparo

  • Coloque no processador ou liqüidificador a batata, clara de ovo, frango e +/- 2 colheres de água do cozimento do frango;
  • Adicione uma pitadinha de sal e um fio de azeite, após processar adicione a aveia e misture bem.
  • Deixe 10 minutinhos na geladeira em saquinho plástico para facilitar a moldagem (eu não consegui esperar e usei na hora).

Recheio

  • Prepare um refogado de peito de frango desfiado.
  • Cozinhe em panela de pressão o peito, desfie e refogue: doure alho e cebola em azeite, acrescente o frango desfiado, após acrescente tomatinhos bem picadinhos, salsinha, sal, pimenta do reino e páprica picante ou doce.
  • Também pode acrescentar creme de tofu ou ricota light para ficar mais cremoso.
  • Pré-aqueça o forno, use uma forma untada ou forma de silicone, molde a massa a seu gosto e recheie com o frango desfiado, também fica ótimo com queijo magro como: minas de búfala e um pouquinho de requeijão light.
  • Passe o salgado no farelo de linhaça para empana-lo, se preferir pincele gema de ovo por cima do salgado e depois passe no farelo.
  • Leve ao forno entre 180 a 200 graus por +/- 20 minutos.

Fonte da receita: Ergovita + Sabor & Saúde

Fonte da imagem: http://luciliadiniz.com/coxinha-light-de-batata-doce/

Inclusive, tem outra receita de coxinha de batata-doce neste link!

Fornecedora da farinha de linhaça dourada

Declaro não haver conflito de interesse.

Read More
Escolher Bem Para Nutrir Melhor

Escolher bem para nutrir melhor

Artigo publicado no Blog Agora sou mãe, em 1 de julho de 2016.

Você conhece aquela frase “Comer bem para viver melhor”? Foi inspirada nela que escolhi o título deste post para o blog “Agora sou mãe”, título muito apropriado para o contexto gestação-lactação. Isto porque a alimentação da mãe, que se aprimora da mais sublime essência do “cuidar” através da experiência da maternidade, deve ser voltada para a nutrição do filho. Portanto, escolher bem o que comer é essencial neste período!

Em primeiro lugar, devemos estar atentos à variedade alimentar, incluindo pelo menos 40 alimentos diferentes por semana, entre os alimentos recomendados para manutenção da saúde. Vou acrescentar aqui a lista que utilizo no consultório, incluindo alguns temperos, mas, caso você tenha outros alimentos na sua região, predominantemente naturais, reconhecidos como “saudáveis”, saiba que pode incluí-los na sua própria lista. Sem problemas!

Lista de Alimentos Recomendados

Grupo 1 – Grupo dos temperos, especiarias, café e chás:

Café, mate, chimarrão, chás, açafrão-da-terra, curry, pimentas, raiz forte, salsinha, cebolinha, hortelã, coentro, cominho, tomilho, páprica, dill, gengibre, alecrim, cravo-da-índia, canela, louro, manjericão, manjerona, noz moscada, sálvia, cardamomo, erva-doce.

Grupo 2 – Grupo dos carboidratos de menor densidade calórica:

Alface, acelga, rúcula, escarola, chicória, almeirão, espinafre, agrião, pimentão, couve, couve-de-bruxelas, couve-flor, brócolis, aipo, nabo, rabanete, mostarda, repolho, radíquio roxo, radicche, salsão, alho-poró, abobrinha verde, quiabo, chuchu, vagem, pepino, jiló, aspargos, alcachofra, berinjela, cebola, alho, palmito, cogumelos, tomate, cenoura, beterraba, brotos, algas.

Grupo 3 – Grupo das frutas:

Abacaxi, maçã, mamão, banana, pera, morango, amora, açaí, mirtilo, cereja, framboesa, physallis, caqui, uva, melancia, laranja, limão, limão, tangerina, pomelo, manga, jabuticaba, melão, goiaba, ameixa, pêssego, romã, nectarina, pitaya, fruta-de-conde, kiwi, acerola, caju, côco (polpa), maracujá e frutas secas (ameixa, mirtilo, maçã, gojiberry, figo, uva-passa, cramberry, damasco, tâmara, banana-passa, lascas de côco, outras).

Grupo 4 – Carboidratos de maior densidade calórica:

Arroz integral, arroz selvagem, pão integral, trigo de quibe, gérmen de trigo, trigo sarraceno, aveia, cevada, centeio, amaranto, quinoa, macarrão de trigo integral, macarrão de arroz, macarrão de milho, macarrão de grão-de-bico, batata inglesa, batata doce, batata salsa, batata yacon, mandioca, milho-verde, cará, inhame, tapioca, abóbora, moranga, feijão branco, feijão vermelho, feijão preto, feijão azuki, ervilha, lentilha, soja em grão, pinhão e grão-de-bico.

Grupo 5 – Grupo das proteínas:

Carne vermelha magra, frango, peixe, marisco, mexilhão, ostra, camarão, lula, ovos, queijos brancos, tofu, proteína de soja, proteína de arroz, proteína da batata, proteína da carne, proteína do soro do leite (whey protein).

Grupo 6 – Grupo das gorduras:

Azeite de oliva extravirgem, azeite de semente de uva extravirgem, óleo de côco, abacate, castanha-do-Pará, castanha de caju, amêndoa, pistache, avelã, noz pecã, noz macadãmia, noz chilena, amendoim, semente de abóbora, semente de gergelim, semente de girassol, semente de linhaça, semente de chia, manteiga ghee, pasta de amendoim, pasta de gergelim.

Grupo 7 – Grupo dos leites, iogurtes, kefir e coalhada:

Leite de vaca, leite de soja, leite de amêndoa, leite de arroz, leite de aveia, leite de côco, coalhada, leite fermentado, kefir, iogurte de vaca, iogurte de cabra, iogurte de ovelha.

Ficou bem claro? Para ter uma boa variedade alimentar, você deve incluir semanalmente pelo menos 40 alimentos desta lista ou de uma lista que inclua outros alimentos de sua região. Faça boas escolhas!

Agora vamos fazer uma outra abordagem. Ao compor uma dieta saudável, devemos fazer com que ela seja, entre outras características, predominantemente anti-inflamatória, antioxidante e alcalinizante. Isso quer dizer que ela pode incluir alimentos inflamatórios, alimentos que não ofereçam proteção antioxidante e alimentos acidificantes, mas, no cômputo final, deve ser predominantemente anti-inflamatória, antioxidante e alcalinizante. Lembrando que “nem todo alimento saudável é saudável para você”, quero chamar a atenção para alguns”bons alimentos” que provavelmente lhe serão benéficos. São eles:

10 alimentos anti-inflamatórios poderosos:

1 – peixes ricos em ômega-3 (como salmão, anchova, linguado, bacalhau, atum e sardinha)

2 – “berries” ou frutas vermelhas (como mirtilo, gojiberry, morango, cereja, framboesa, açaí e amora)

3 – açafrão-da-terra

4 – vegetais crucíferos (como couve, couve-flor, couve-de-bruxelas, brócolis e repolho)

5 – azeite de oliva extra-virgem

6 – alho

7 – cebola

8 – gengibre

9 – abacate

10 – mamão

10 alimentos antioxidantes poderosos:

1 – Frutas vermelhas (como mirtilo, gojiberry, morango, cereja, framboesa, açaí e amora)

2 – Frutas cítricas (como laranja, limão e tangerina)

3 – Acerola

4 – Romã

5 – Maçã

6 – Cenoura

7 – Tomate

8 – Chocolate amargo e cacau

9 – Azeite de oliva extravirgem

10 – Suco integral de uva

10 alimentos alcalinizantes poderosos:

1 – Frutas cítricas (como laranja, limão e tangerina)

2 – Ameixa umeboshi

3 – Vegetais verdes, como salsinha, espinafre e brócolis

4 – Semente de abóbora

5 – Alho

6 – Pepino

7 – Germinados

8 – Chá verde

9 – Sal marinho

10 – Sal Rosa do Himalaia

Parece complicado, mas não é. As propostas não entram em conflito. Alguns alimentos até se repetem, não é mesmo? Se você precisar de ajuda, procure um/uma nutricionista para lhe orientar neste jogo inflamatório x anti-inflamatório, oxidante x anti-oxidante, acidificante x alcalinizante. Como regra geral, lembre-se de que os alimentos de origem animal tendem a ser mais inflamatórios, acidificantes e não oferecem proteção antioxidante. Alguns hábitos ritualísticos podem ser interessantes, como água morna com limão em jejum.

Desta forma, espero estar contribuindo para que enriqueça o seu hábito alimentar agora, mais do que nunca! E, sendo bem sincera, quero que se lembre sempre de mim ao fazer suas escolhas através da frase “Escolher bem para nutrir melhor“!

Read More