img-dietaantienvelhecimento

Dieta antienvelhecimento é uma proposta controversa. Na realidade, o termo “antienvelhecimento”, ou antiaging, é um termo controverso, porque já foi e ainda continua sendo usado com um certo “apelo”, como se estivéssemos prometendo a eterna juventude que muitos desejam. Mas eu continuo usando-o, até porque não achei nenhum outro mais apropriado! O próprio Conselho Federal de Medicina se posicionou em 2012 da seguinte forma em relação a métodos para deter o envelhecimento.

Com a Resolução 1999/2012, os médicos que prescreverem métodos para deter o envelhecimento podem ser punidos até com a perda do registro profissional.

Médicos brasileiros que prescreveram terapias com o objetivo específico de conter o envelhecimento, práticas conhecidas como antiaging, estarão sujeitos às penalidades previstas em processos ético-profissionais,

Mas o que eu proponho não é um método. E não prometo nada, de forma alguma! Não estou ligada a nenhum grupo de médicos que propõem tratamentos antiaging, que divulgam uma Medicina Antiaging, ou nada. Eu apenas divulgo o que, baseado em estudos científicos, as ciências nutricionais, de maneira geral, e a Nutrigenética e a Nutrigenômica, em particular, têm revelado, apoiando-nos em todas as conquistas alcançadas após a conclusão do fantástico Projeto Genoma Humano, em 2003.

É importante que você entenda bem o que é Nutrigenética e Nutrigenômica, para se inteirar do contexto. Para saber mais, leia Nutrigenética e Nutrigenômica, uma via de mão dupla, em Artigos.

Entendendo que o envelhecimento e as doenças a ele relacionadas são decorrentes de acúmulo de dano molecular e que este dano está relacionado a processos como inflamação, oxidação, glicação, acidificação e alterações da metilação (não se preocupe se não conhecer todos estes termos que iremos esclarecê-los pouco a pouco), o que podemos fazer?

Atuarmos objetivamente para reduzir o dano. Estaríamos interferindo precocemente para que as doenças não se manifestem, mantendo a saúde – a proposta da Medicina do Século XXI.

Desta forma, uma dieta antienvelhecimento certamente terá características predominantemente

anti-inflamatória

antioxidante

antiglicante

alcalinizante

(pró)metilante 

(lembrando que tanto a hipometilação como a hipermetilação são prejudiciais; o mais frequente é favorecer uma dieta pró-metilante devido aos níveis baixos de vitamina B12, B6 ou B9 na prática clínica).

Nada de controvérsias. Simples assim. Minha proposta é acompanhar sistematicamente, ao longo da vida, os parâmetros que refletem alterações neste delicado equilíbrio que procuramos alcançar todos os dias com nossas escolhas alimentares (proteína C reativa ultrasensível, hemoglobina glicada, homocisteína, níveis de zinco, cromo, magnésio, composição corporal, entre outros). Uma verdadeira gestão do envelhecimento! Isso tudo vem delinear a Engenharia Aplicada ao Tempo de Vida Saudável, que estou sempre divulgando também!

E, não se esqueça:

Você faz as suas escolhas e suas escolhas fazem você.

Shakespeare (1.564-1.616).