Doenças auto-imunes e intestino permeável: a “raiz” da questão

Você sabia que a manifestação de doenças auto-imunes tem uma relação direta com o intestino?

Na realidade, com um quadro chamado intestino permeável, ou leaky gut em inglês. Temos observado um aumento importante destas doenças nos últimos anos, ou melhor, nas últimas décadas. E isso tem tudo a ver com uma série de fatores,  como demonstra a foto abaixo:

GUTHEALTH_LeakyGutSyndrome

  • estresse;
  • proteínas da dieta, como o próprio glúten (que, na realidade, é um “novo glúten” uma vez que temos, por biotecnologia, um “novo trigo” formado pela combinação de 3 variedades de trigo);
  • modificações dos hábitos alimentares;
  • substâncias alergênicas da dieta;
  • toxinas ambientais, como os agrotóxicos;
  • exposição a microorganismos patogênicos;
  • uso indiscriminado de antibióticos;
  • hipocloridria, que pode estar associada ao uso de medicamentos, como os inibidores da bomba de prótons, como o omeprazol;
  • alterações dos níveis de glicose sérica;
  • desequilíbrios hormonais;
  • entre outros.

Veja o que acontece: alterações da barreira da mucosa intestinal em decorrência de todos estes fatores acima fazem com que seja aberto o espaço entre as células epiteliais, que normalmente estão mega unidas (tight junctions). Desta forma, partículas do “meio” entram no espaço subepitelial, desencadeiam um processo inflamatório e estimulam o sistema imune, dependendo da susceptibilidade genética. É como se ele perdesse a capacidade de diferenciar as proteínas do organismo das proteínas invasoras. O tipo de proteína/célula que é atacada determina a doença que vai se manifestar: tireoide de Hashimoto (quando as células da tireoide são atacadas), artrite reumatoide (quando articulações são literalmente destruídas) e psoríase (em decorrência do acometimento de células da pele e outros tecidos).

Consegue entender que a “raiz da questão” em relação à manifestação das doenças auto-imunes é a mesma? O intestino permeável ou leaky gut. 

Consegue entender também que a doença está “ali” e que nós (até por desconhecimento) é que permitimos que ela se manifeste?

Ainda bem que estamos nesta era maravilhosa, esta “nova era” em que o ser humano vai descobrindo a sua própria capacidade de auto-cura através das escolhas cotidianas, como propõe a minha Engenharia Aplicada ao Tempo de Vida Saudável – a ciência de manter a saúde. 

Entre nós, durante muitos anos, especialmente na questão perda de peso, meu trabalho não era muito reconhecido, porque vigorava o “imediatismo”. É verdade, a maioria das pessoas queria emagrecer “para ontem”! Tenho uma serena satisfação interior de ter sido persistente. De ter mantido na minha linha de tratamento, com a visão do todo, com a visão de ajudar o paciente a “achar o caminho”, com a visão de longo prazo. Para mim é o que faz sentido!

E onde entra o Aquera nisso tudo?

Dra Isabela David

Médica nutróloga com Título de Especialista em Nutrologia pela Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Médica Brasileira (AMB)